A planificação editorial do Centro de Arqueologia de Almada para 2018, no plano mais imediato, inclui novos tomos da revista digital Al-Madan Online [ISSN 2182-7265], com o seguinte calendário de produção/edição.

A AL-MADAN Online tem distribuição gratuita na Internet, através de duas vias: com informação de síntese neste mesmo sítio web e com a revista integral na plataforma ISSUU.

Os(as) autores(as) que desejem enviar contributos originais para essas edições podem fazê-lo desde já, agradecendo-se a consulta prévia ao Estatuto Editorial e Normas de Colaboração. Qualquer esclarecimento adicional pode ser obtido por e-mail.

 

Num horizonte mais afastado, em 2018 será também editado mais um volume da Al-Madan impressa [ISSN 0871-066X]:

Está também aberto o período de recepção de originais para o efeito, nos termos do Estatuto e Normas de Colaboração já referidos. Al-Madan Online e Al-Madan são edições complementares mas reúnem conteúdos autónomos e prosseguem objectivos específicos.

A Al-Madan impressa continuará a ser viabilizada pelo patrocínio da Câmara Municipal de Almada e pelos protocolos de parceria e de apoio formalizados com as empresas Arqueohoje e Neoépica, respectivamente, no âmbito da campanha Vamos Manter a Al-Madan Impressa. O Centro de Arqueologia de Almada apela à consulta do documento que suporta essa campanha e à adesão de outras instituições.

Entretanto, todos os números da AL-MADAN impressa podem ser solicitados directamente ao Centro de Arqueologia de Almada, que os distribuirá via CTT, com oferta dos portes em Portugal continental (ver Contactos). A revista está também colocada no mercado livreiro (ver Onde Comprar).

 

Complementarmente, o Mapa de Sítios Arqueológicos Visitáveis em Portugal, preparado na sequência do inventário nacional publicado na Al-Madan impressa n.º 20 (2016), aproxima-se já dos 22 mil acessos na sua versão online, que pode consultar a partir desta ligação. Utilize-o e conheça melhor o Património arqueológico português.

O CAA agradece também informações de actualização dos arqueossítios inventariados, bem como as que permitam enriquecer o mapa com novos registos. Os contactos podem ser realizados por e-mail.

 

Almada, Setembro de 2017